Arquivo do autor:jjsurfschool

Resgate cabuloso

O surfista brasileiro de ondas Grandes Pedro Viana vinha numa esquerda e não aguentou a pressão da velocidade da onda, tomando uma vaca no meio da arrebentação. Na sequencia, seu amigo Lucas Chianca chega de moto aquática para fazer o resgate, porém, em alta velocidade uma simples ondinha faz ele perder o controle da moto e os dois capotam. Ainda bem que tinha um segundo jet, de Everaldo Pato Teixeira. Ele resgata os dois e os deixa na praia são e salvos. Assista:

Novidades

Olá senhores que acompanham este site, vocês devem ter notado que estamos reformulando o site, deixando ele mais simples e de fácil acesso. Pedimos paciência a todos, em breve teremos novidades e muitas matérias frescas para todos.

Gostaríamos que deixassem sugestões de pauta nos comentários. Serão úteis para guiar nossos editores em futuros posts.

Abraço!

Equipe surf.com.br

Primeiro backflip de back filmado da história

O nome dele é Hector Santamaria, um aerialista até então pouco conhecido dos brasileiros. O Porto-riquenho aparece no vídeo mandando manobras insanas e acrobáticas. Tenta por diversas vezes esse backflip de back e acerta no finalzinho.

Frontflip? Backflip? Something else? You tell us! 🏄 @hector__santamaria #PuertoRico Video by @burgerena

A post shared by World Surf League (@wsl) on

É estranho porque, de back, ele vai como quem vai dar uma batida e chuta sentido a praia e bico pro céu. Muito louco, assistam e tirem suas próprias conclusões.

Veja o vídeo completo abaixo:

WSL fecha parceria com Facebook para transmitir eventos

By João Carvalho | 8 de março de 2017 |

A World Surf League (WSL) anunciou nessa quarta-feira (08) uma nova parceria com o Facebook para transmitir ao vivo todas as etapas do Championship Tour (CT) masculino e feminino e os eventos do Big Wave Tour (BWT) pelo Facebook Live. Agora, os fãs do esporte no mundo inteiro terão mais um canal para assistir seus surfistas favoritos na página da World Surf League no Facebook, a maior mídia social do mundo.

Gabriel Medina festejando o bicampeonato no Fiji Pro na remota ilha de Tavarua (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Gabriel Medina festejando o bicampeonato no Fiji Pro na remota ilha de Tavarua (Foto: Kelly Cestari – WSL)

“Estamos entusiasmados em poder apresentar a temporada completa da World Surf League para a audiência global do Facebook”, disse Dan Reed, chefe do Facebook Global Sports Partnerships. “Graças a sua estratégia de vídeo inovadora, destacada por um uso consistente e criativo do Facebook Live, a WSL vai atingir uma legião de fãs altamente envolvida na plataforma de transmissão. Esses fãs vão poder assistir o World Tour juntos assim que começar a temporada (em 14 de março na Gold Coast, Austrália), acompanhando ao vivo os grandes momentos do surfe sempre que eles estiverem acontecendo”.  

Com as transmissões ao vivo no Facebook, a WSL continuará expandindo o alcance do seu conteúdo para uma quantidade ainda maior de fãs em todo o mundo, podendo experimentar novas produções muito mais interativas nas mídias sociais.

“A WSL está muito feliz pela parceria com o Facebook para apresentar mais de 800 horas de conteúdo ao vivo da nossa temporada 2017”, disse Tim Greenberg, Chief Community Officer da WSL. “Como uma primeira Liga verdadeiramente digital, a transmissão de todos os principais eventos pelo Facebook é mais um marco pioneiro no nosso esporte. Com a escala do Facebook, poderemos atingir mais fãs ainda, levando toda a magia e drama do surfe profissional diretamente para onde estiverem. É mais uma oportunidade incrível para nos mantermos na vanguarda da distribuição de mídia esportiva”.

O anúncio da parceria com o Facebook Live e toda sua plataforma de mídia social, é a última novidade da abordagem inovadora da World Surf League nos últimos anos.

“Uma das principais coisas que acho do surfe é que ele está sempre evoluindo, tanto no equipamento, como na abordagem e progressão”, disse o sul-africano Jordy Smith, vice-campeão mundial no ano passado. “É ótimo saber que essa evolução não é só no mar, pois o Facebook é muito especial por conectar diferentes culturas e agora o surfe será compartilhado para muito além das praias. É muito legal ver a WSL na vanguarda do esporte, usando todas as tecnologias para uma maior interação com os fãs em todo o mundo. Esperamos ter mais um grande ano, mas agora fiquei um pouco mais nervoso pensando em que mais alguns milhões de pessoas estarão assistindo minhas baterias”.

A empolgação de Jordy Smith é a mesma de outras estrelas do World Surf League Championship Tour, como Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Mick Fanning, Carissa Moore, Gabriel Medina, Tyler Wright, John John Florence e todos os integrantes da elite que disputarão os títulos mundiais deste ano. Os melhores surfistas do mundo vão começar a temporada 2017 no Quiksilver Pro e no Roxy Pro, do dia 14 a 25 de março nas ondas de Snapper Rocks, na Gold Coast, Queensland, Austrália.

Os dois eventos serão transmitidos ao vivo pelo Facebook Live e pelo www.worldsurfleague.com

Iniciou do tour está marcado para hoje na Austrália

By João Carvalho | 14 de março de 2017 | principal

Os melhores surfistas do mundo já estavam prontos para competir na terça-feira, mas as condições do mar não eram favoráveis para a abertura do World Surf League Championship Tour 2017 na Austrália. Continuar lendo

Brasileiros são premiados em noite de gala da WSL

Texto de João Carvalho

Três brasileiros foram premiados no WSL Awards Honor World´s Best Surfers, na noite de gala dos melhores surfistas do mundo que celebra as conquistas da temporada 2016 e inaugura oficialmente o World Surf League Championship Tour 2017 na Austrália. O carioca Phil Rajzman recebeu seu segundo troféu de campeão mundial de Longboard, Caio Ibelli ganhou o do “Rookie of the Year” de melhor estreante entre os top-34 do CT e o também paulista Filipe Toledo levou o caneco do “Move of the Year” de melhor manobra do ano.

Caio Ibelli (Foto: Daniel - WSL)
Caio Ibelli (Foto: Daniel – WSL)

Toda a “seleção brasileira” do CT compareceu na festa e Adriano de Souza foi chamado para entregar o troféu que ele conquistou em 2015, para o novo campeão mundial John John Florence. Tyler Wright também venceu seu primeiro título em 2016, assim como outros cinco campeões, os também australianos Ethan Ewing e Macy Callaghan na categoria Junior Sub-18, a norte-americana Tory Gilkerson no Longboard feminino e o sul-africano Grant Baker e a havaiana Paige Alms no WSL Big Wave Tour. As melhores performances do ano nas etapas do CT também foram premiadas:

Premiados da temporada 2016 da World Surf League:

Campeões mundiais: John John Florence (HAV) e Tyler Wright (AUS)

Vice-campeões mundiais: Jordy Smith (AFR) e Courtney Conlogue (EUA)

Estreantes do Ano no CT: Caio Ibelli (BRA) e Keely Andrew (AUS)

Mais subiram no ranking: Matt Wilkinson (AUS) e Tatiana Weston-Webb (HAV)

Melhor bateria do Ano: John John Florence (HAV) x Taj Burrow (AUS) em Fiji e Courtney Conlogue (EUA) x Sally Fitzgibbons (AUS) em Bells Beach

Melhor manobra do Ano: Filipe Toledo (BRA) e Johanne Defay (FRA)

Melhor onda do Ano: Kelly Slater (EUA) e Carissa Moore (HAV)

Campeões do WSL Big Wave Tour: Grant Baker (AFR) e Paige Alms (HAV)

Campeões mundiais de Longboard: Phil Rajzman (BRA) e Tory Gilkerson (EUA)

Campeões da categoria Junior Sub-18: Ethan Ewing (AUS) e Macy Callaghan (AUS)

Adriano de Souza entregando o troféus para John John Florence (Foto: Daniel - WSL)
Adriano de Souza entregando o troféus para John John Florence (Foto: Daniel – WSL)

“Eu só quero dizer que é realmente surreal estar aqui em cima hoje”¸ disse John John Florence, ao receber o troféu de campeão mundial de Adriano de Souza. “Isso foi o que sempre sonhei em toda a minha vida e não poderia ter conseguido sem todo o apoio que tive para chegar aqui. Quero agradecer a minha mãe e dedicar esse título para ela. É por causa da minha mãe que estou aqui e obrigado a todos que me apoiaram também. É um momento incrível para mim e boa sorte a todos neste ano”.

O havaiano vai fazer a sua primeira defesa do título no Quiksilver Pro Gold Coast, que abre a temporada 2017 do World Surf League Championship Tour nos dias 14 a 25 de março em Snapper Rocks, na Gold Coast, em Queensland, Austrália, ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

Phil Rajzman (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Phil Rajzman (Foto: Kelly Cestari – WSL)

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 3.o e 4.o=Segunda Fase:

1.a: Michel Bourez (TAH), Conner Coffin (EUA), Jadson André (BRA)

2.a: Matt Wilkinson (AUS), Stuart Kennedy (AUS), Ian Gouveia (BRA)

3.a: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Jack Freestone (AUS)

4.a: Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

5.a: Jordy Smith (AFR), Miguel Pupo (BRA), wildcard

6.a: John John Florence (HAV), Connor O´Leary (AUS), wildcard

7.a: Kelly Slater (EUA), Mick Fanning (AUS), Jeremy Flores (FRA)

8.a: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)

9.a: Joel Parkinson (AUS), Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA)

10.a: Filipe Toledo (BRA), Adrian Buchan (AUS), Frederico Morais (PRT)

11.a: Adriano de Souza (BRA), Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS)

12.a: Sebastian Zietz (HAV), Owen Wright (AUS), Ethan Ewing (AUS)

PRIMEIRA FASE DO ROXY PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)

2.a: Tatiana Weston-Webb (HAV), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Tyler Wright (AUS), Nikki Van Dijk (AUS), wildcard

4.a: Courtney Conlogue (EUA), Silvana Lima (BRA), Pauline Ado (FRA)

5.a: Carissa Moore (HAV), Laura Enever (AUS), Coco Ho (HAV)

6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Lakey Peterson (EUA)

Yago Dora – Moendo na Califórnia

Yago Dora é um dos surfistas juniores que mais tem se destacado no surf mundial, com seu surf progressivo, o menino vem mostrando maturidade nas baterias, sempre tranquilo, escolhendo bem e moendo as ondas sem cair da prancha. Divirta-se com essa sessão filmada em Trestles por seu pai, Leandro Dora, da Aprimore Surf.

Foto de capa: Reprodução/Facebook.

Brad Domke – Conheça o primeiro Skinboarder de ondas grandes

Brad Domke começou no surf convencional a alguns anos atrás e já mostrava que não estava para fazer coisa convencional. Ele utilizava a prancha sem quilhas. Não demorou muito ele trocou a prancha por um skinboard e evoluiu mais do que qualquer outro no mundo. Partiu para as ondas grandes e o resto você pode acompanhar no que deu pelo vídeo abaixo. O cara ta surfando mais do que muita gente, e sem remada, sem quilhas, sem precedentes!

Alejo Muniz é chamado para a vaga de Jeremy Flores #JBayOpen

Jeremy Flores é a primeira baixa oficial para o J-Bay Open. O surfista francês sofreu recentemente um acidente enquanto surfava na indonésia e as lesões resultantes dessa situação vão impedi-lo de estar presente na sexta paragem do World Tour 2015. A WSL já anunciou que o seu substituto vai ser o brasileiro Alejo Muniz.

Este contratempo acontece precisamente na melhor fase da temporada de Flores, que vinha de um 3.º lugar nas Fiji, ocupando o top 10 do ranking. O wipeout sofrido numa onda num lugar remoto na Indonésia deixou-o inconsciente, tendo de ser mesmo operado. O resultado foi a duas fraturas faciais e uma lesão a nível cerebral, para além dos vários cortes na face.

Ainda assim, o desejo do francês em recuperar a tempo para Jeffreys era grande, mas na mais recente visita ao médico viu-lhe ser negada essa possibilidade. A lesão ainda está longe de estar recuperada e Jeremy foi mesmo obrigado a anunciar a sua desistência, ele que era um dos muitos surfistas em dúvida para este evento.

Curiosamente, Jeremy vai falhar uma etapa de má memória para ele. Foi em J-Bay no ano passado que, depois de perder no 2.ª round, o francês se dirigiu ao painel de juízes, tendo supostamente tentado partir para agressões. Esse incidente valeu-lhe uma pesada multa e uma suspensão de dois eventos.

No seu lugar entra Alejo Muniz, que fará assim o quarto evento do Tour esta temporada, uma vez que é ele o primeiro suplente do circuito. Em grande forma no WQS, Alejo ainda não conseguiu um resultado expressivo este ano entre a elite mundial, mas vai ter na África do Sul nova oportunidade. O surfista brasileiro entra na 3° bateria, juntamente com Owen Wright e Michel Bourez. Esta mudança não mexeu com os heats dos principais top.

Em boa fase no QS, Alejo ainda não se achou na 1° divisão mundial de surf. Foto:WSL / Kelly Cestari.

Em boa fase no QS, Alejo ainda não se achou na 1° divisão mundial de surf. Foto:WSL / Kelly Cestari.

Entretanto, ainda não são conhecidos mais impedimentos por lesão. Jordy Smith, Michel Bourez, John John Florence e Brett Simpson falharam a etapa das Fiji. Se Jordy já voltou a competir no QS10000 de Ballito, os restantes ainda se mantêm em dúvida. Por enquanto, os seus nomes surgem na lista de baterias, mas veremos o que acontece até dia 8, início do período de espera do J-Bay Open.

Entretanto, começa a ser preocupante o número de vezes que a WSL refere nas suas notícias a complexidade e o perigo do free surf, frisando as inúmeras lesões que daí resultam. Uma questão que já foi mesmo debatida no webcast. Situações que sempre aconteceram e irão continuar a acontecer. Depois de terem impedido a participação dos surfistas do Tour em eventos fora da WSL, estarão estes tipos a sequer pensar em limitar as sessões de free surf das suas estrelas?

Fonte: surfportugal.pt.

Foto de capa: WSL / Kirstin.

 

Taj Burrow e amigos surfam o melhor Swell do ano no North Poit

O último swell que entrou na Indonésia e Austrália foi considerado por muitos o maior e melhor da última década até o momento. Não a toa, Taj, Dino Adrian e o jovem prodígio Jack Robinson foram alguns dos nomes que se jogaram nas bombas tubulares de North Point. Abaixo você pode ver como foi esse surf com um dos melhores surfistas do mundo:

Foto de capa: Joel Nankivell.