Arquivos da categoria: Competição

Tudo sobre competições de surf no Brasil e no mundo.

WSL fecha parceria com Facebook para transmitir eventos

By João Carvalho | 8 de março de 2017 |

A World Surf League (WSL) anunciou nessa quarta-feira (08) uma nova parceria com o Facebook para transmitir ao vivo todas as etapas do Championship Tour (CT) masculino e feminino e os eventos do Big Wave Tour (BWT) pelo Facebook Live. Agora, os fãs do esporte no mundo inteiro terão mais um canal para assistir seus surfistas favoritos na página da World Surf League no Facebook, a maior mídia social do mundo.

Gabriel Medina festejando o bicampeonato no Fiji Pro na remota ilha de Tavarua (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Gabriel Medina festejando o bicampeonato no Fiji Pro na remota ilha de Tavarua (Foto: Kelly Cestari – WSL)

“Estamos entusiasmados em poder apresentar a temporada completa da World Surf League para a audiência global do Facebook”, disse Dan Reed, chefe do Facebook Global Sports Partnerships. “Graças a sua estratégia de vídeo inovadora, destacada por um uso consistente e criativo do Facebook Live, a WSL vai atingir uma legião de fãs altamente envolvida na plataforma de transmissão. Esses fãs vão poder assistir o World Tour juntos assim que começar a temporada (em 14 de março na Gold Coast, Austrália), acompanhando ao vivo os grandes momentos do surfe sempre que eles estiverem acontecendo”.  

Com as transmissões ao vivo no Facebook, a WSL continuará expandindo o alcance do seu conteúdo para uma quantidade ainda maior de fãs em todo o mundo, podendo experimentar novas produções muito mais interativas nas mídias sociais.

“A WSL está muito feliz pela parceria com o Facebook para apresentar mais de 800 horas de conteúdo ao vivo da nossa temporada 2017”, disse Tim Greenberg, Chief Community Officer da WSL. “Como uma primeira Liga verdadeiramente digital, a transmissão de todos os principais eventos pelo Facebook é mais um marco pioneiro no nosso esporte. Com a escala do Facebook, poderemos atingir mais fãs ainda, levando toda a magia e drama do surfe profissional diretamente para onde estiverem. É mais uma oportunidade incrível para nos mantermos na vanguarda da distribuição de mídia esportiva”.

O anúncio da parceria com o Facebook Live e toda sua plataforma de mídia social, é a última novidade da abordagem inovadora da World Surf League nos últimos anos.

“Uma das principais coisas que acho do surfe é que ele está sempre evoluindo, tanto no equipamento, como na abordagem e progressão”, disse o sul-africano Jordy Smith, vice-campeão mundial no ano passado. “É ótimo saber que essa evolução não é só no mar, pois o Facebook é muito especial por conectar diferentes culturas e agora o surfe será compartilhado para muito além das praias. É muito legal ver a WSL na vanguarda do esporte, usando todas as tecnologias para uma maior interação com os fãs em todo o mundo. Esperamos ter mais um grande ano, mas agora fiquei um pouco mais nervoso pensando em que mais alguns milhões de pessoas estarão assistindo minhas baterias”.

A empolgação de Jordy Smith é a mesma de outras estrelas do World Surf League Championship Tour, como Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Mick Fanning, Carissa Moore, Gabriel Medina, Tyler Wright, John John Florence e todos os integrantes da elite que disputarão os títulos mundiais deste ano. Os melhores surfistas do mundo vão começar a temporada 2017 no Quiksilver Pro e no Roxy Pro, do dia 14 a 25 de março nas ondas de Snapper Rocks, na Gold Coast, Queensland, Austrália.

Os dois eventos serão transmitidos ao vivo pelo Facebook Live e pelo www.worldsurfleague.com

Iniciou do tour está marcado para hoje na Austrália

By João Carvalho | 14 de março de 2017 | principal

Os melhores surfistas do mundo já estavam prontos para competir na terça-feira, mas as condições do mar não eram favoráveis para a abertura do World Surf League Championship Tour 2017 na Austrália. Continuar lendo

Brasileiros são premiados em noite de gala da WSL

Texto de João Carvalho

Três brasileiros foram premiados no WSL Awards Honor World´s Best Surfers, na noite de gala dos melhores surfistas do mundo que celebra as conquistas da temporada 2016 e inaugura oficialmente o World Surf League Championship Tour 2017 na Austrália. O carioca Phil Rajzman recebeu seu segundo troféu de campeão mundial de Longboard, Caio Ibelli ganhou o do “Rookie of the Year” de melhor estreante entre os top-34 do CT e o também paulista Filipe Toledo levou o caneco do “Move of the Year” de melhor manobra do ano.

Caio Ibelli (Foto: Daniel - WSL)
Caio Ibelli (Foto: Daniel – WSL)

Toda a “seleção brasileira” do CT compareceu na festa e Adriano de Souza foi chamado para entregar o troféu que ele conquistou em 2015, para o novo campeão mundial John John Florence. Tyler Wright também venceu seu primeiro título em 2016, assim como outros cinco campeões, os também australianos Ethan Ewing e Macy Callaghan na categoria Junior Sub-18, a norte-americana Tory Gilkerson no Longboard feminino e o sul-africano Grant Baker e a havaiana Paige Alms no WSL Big Wave Tour. As melhores performances do ano nas etapas do CT também foram premiadas:

Premiados da temporada 2016 da World Surf League:

Campeões mundiais: John John Florence (HAV) e Tyler Wright (AUS)

Vice-campeões mundiais: Jordy Smith (AFR) e Courtney Conlogue (EUA)

Estreantes do Ano no CT: Caio Ibelli (BRA) e Keely Andrew (AUS)

Mais subiram no ranking: Matt Wilkinson (AUS) e Tatiana Weston-Webb (HAV)

Melhor bateria do Ano: John John Florence (HAV) x Taj Burrow (AUS) em Fiji e Courtney Conlogue (EUA) x Sally Fitzgibbons (AUS) em Bells Beach

Melhor manobra do Ano: Filipe Toledo (BRA) e Johanne Defay (FRA)

Melhor onda do Ano: Kelly Slater (EUA) e Carissa Moore (HAV)

Campeões do WSL Big Wave Tour: Grant Baker (AFR) e Paige Alms (HAV)

Campeões mundiais de Longboard: Phil Rajzman (BRA) e Tory Gilkerson (EUA)

Campeões da categoria Junior Sub-18: Ethan Ewing (AUS) e Macy Callaghan (AUS)

Adriano de Souza entregando o troféus para John John Florence (Foto: Daniel - WSL)
Adriano de Souza entregando o troféus para John John Florence (Foto: Daniel – WSL)

“Eu só quero dizer que é realmente surreal estar aqui em cima hoje”¸ disse John John Florence, ao receber o troféu de campeão mundial de Adriano de Souza. “Isso foi o que sempre sonhei em toda a minha vida e não poderia ter conseguido sem todo o apoio que tive para chegar aqui. Quero agradecer a minha mãe e dedicar esse título para ela. É por causa da minha mãe que estou aqui e obrigado a todos que me apoiaram também. É um momento incrível para mim e boa sorte a todos neste ano”.

O havaiano vai fazer a sua primeira defesa do título no Quiksilver Pro Gold Coast, que abre a temporada 2017 do World Surf League Championship Tour nos dias 14 a 25 de março em Snapper Rocks, na Gold Coast, em Queensland, Austrália, ao vivo pelo www.worldsurfleague.com

SOBRE A WORLD SURF LEAGUE – A World Surf League (WSL), antes denominada Association of Surfing Professionals (ASP), tem como objetivo celebrar o melhor surf do mundo nas melhores ondas do mundo, através das melhores plataformas de audiência. A Liga Mundial de Surf, com sede em Santa Mônica, na Califórnia, atua em todo o globo terrestre, com escritórios regionais na Austrália, África, América do Norte, América do Sul, Havaí, Europa e Japão.

Phil Rajzman (Foto: Kelly Cestari - WSL)
Phil Rajzman (Foto: Kelly Cestari – WSL)

A WSL vem realizando os melhores campeonatos do mundo desde 1976, promovendo os eventos que definem os campeões mundiais masculino e feminino no Samsung Galaxy Championship Tour, além do Big Wave Tour, Qualifying Series e das categorias Junior e Longboard, bem como o WSL Big Wave Awards. A Liga tem especial atenção para a rica herança do esporte, promovendo a progressão, inovação e desempenho nos mais altos níveis.

Os principais campeonatos de surf do mundo são transmitidos ao vivo pelo www.worldsurfleague.com e pelo aplicativo grátis WSL app. A WSL já possui uma enorme legião de fãs apaixonados em todo o planeta que acompanha as performances dos melhores surfistas do mundo, como Gabriel Medina, John John Florence, Adriano de Souza, Kelly Slater, Stephanie Gilmore, Greg Long, Makua Rothman, Carissa Moore, entre outros, competindo no mais imprevisível e dinâmico campo de jogo entre todos os esportes no mundo, que é o mar.

Para mais informações, visite o WorldSurfLeague.com

———————————————————–

João Carvalho – WSL South America Media Manager – jcarvalho@worldsurfleague.com

———————————————————–

PRIMEIRA FASE DO QUIKSILVER PRO – Vitória=Terceira Fase / 3.o e 4.o=Segunda Fase:

1.a: Michel Bourez (TAH), Conner Coffin (EUA), Jadson André (BRA)

2.a: Matt Wilkinson (AUS), Stuart Kennedy (AUS), Ian Gouveia (BRA)

3.a: Kolohe Andino (EUA), Kanoa Igarashi (EUA), Jack Freestone (AUS)

4.a: Gabriel Medina (BRA), Wiggolly Dantas (BRA), Ezekiel Lau (HAV)

5.a: Jordy Smith (AFR), Miguel Pupo (BRA), wildcard

6.a: John John Florence (HAV), Connor O´Leary (AUS), wildcard

7.a: Kelly Slater (EUA), Mick Fanning (AUS), Jeremy Flores (FRA)

8.a: Julian Wilson (AUS), Caio Ibelli (BRA), Leonardo Fioravanti (ITA)

9.a: Joel Parkinson (AUS), Italo Ferreira (BRA), Joan Duru (FRA)

10.a: Filipe Toledo (BRA), Adrian Buchan (AUS), Frederico Morais (PRT)

11.a: Adriano de Souza (BRA), Josh Kerr (AUS), Bede Durbidge (AUS)

12.a: Sebastian Zietz (HAV), Owen Wright (AUS), Ethan Ewing (AUS)

PRIMEIRA FASE DO ROXY PRO – Vitória=Terceira Fase / 2.a e 3.a=Segunda Fase:

1.a: Johanne Defay (FRA), Sally Fitzgibbons (AUS), Keely Andrew (AUS)

2.a: Tatiana Weston-Webb (HAV), Sage Erickson (EUA), Bronte Macaulay (AUS)

3.a: Tyler Wright (AUS), Nikki Van Dijk (AUS), wildcard

4.a: Courtney Conlogue (EUA), Silvana Lima (BRA), Pauline Ado (FRA)

5.a: Carissa Moore (HAV), Laura Enever (AUS), Coco Ho (HAV)

6.a: Stephanie Gilmore (AUS), Malia Manuel (HAV), Lakey Peterson (EUA)

Yago Dora – Moendo na Califórnia

Yago Dora é um dos surfistas juniores que mais tem se destacado no surf mundial, com seu surf progressivo, o menino vem mostrando maturidade nas baterias, sempre tranquilo, escolhendo bem e moendo as ondas sem cair da prancha. Divirta-se com essa sessão filmada em Trestles por seu pai, Leandro Dora, da Aprimore Surf.

Foto de capa: Reprodução/Facebook.

Alejo Muniz é chamado para a vaga de Jeremy Flores #JBayOpen

Jeremy Flores é a primeira baixa oficial para o J-Bay Open. O surfista francês sofreu recentemente um acidente enquanto surfava na indonésia e as lesões resultantes dessa situação vão impedi-lo de estar presente na sexta paragem do World Tour 2015. A WSL já anunciou que o seu substituto vai ser o brasileiro Alejo Muniz.

Este contratempo acontece precisamente na melhor fase da temporada de Flores, que vinha de um 3.º lugar nas Fiji, ocupando o top 10 do ranking. O wipeout sofrido numa onda num lugar remoto na Indonésia deixou-o inconsciente, tendo de ser mesmo operado. O resultado foi a duas fraturas faciais e uma lesão a nível cerebral, para além dos vários cortes na face.

Ainda assim, o desejo do francês em recuperar a tempo para Jeffreys era grande, mas na mais recente visita ao médico viu-lhe ser negada essa possibilidade. A lesão ainda está longe de estar recuperada e Jeremy foi mesmo obrigado a anunciar a sua desistência, ele que era um dos muitos surfistas em dúvida para este evento.

Curiosamente, Jeremy vai falhar uma etapa de má memória para ele. Foi em J-Bay no ano passado que, depois de perder no 2.ª round, o francês se dirigiu ao painel de juízes, tendo supostamente tentado partir para agressões. Esse incidente valeu-lhe uma pesada multa e uma suspensão de dois eventos.

No seu lugar entra Alejo Muniz, que fará assim o quarto evento do Tour esta temporada, uma vez que é ele o primeiro suplente do circuito. Em grande forma no WQS, Alejo ainda não conseguiu um resultado expressivo este ano entre a elite mundial, mas vai ter na África do Sul nova oportunidade. O surfista brasileiro entra na 3° bateria, juntamente com Owen Wright e Michel Bourez. Esta mudança não mexeu com os heats dos principais top.

Em boa fase no QS, Alejo ainda não se achou na 1° divisão mundial de surf. Foto:WSL / Kelly Cestari.

Em boa fase no QS, Alejo ainda não se achou na 1° divisão mundial de surf. Foto:WSL / Kelly Cestari.

Entretanto, ainda não são conhecidos mais impedimentos por lesão. Jordy Smith, Michel Bourez, John John Florence e Brett Simpson falharam a etapa das Fiji. Se Jordy já voltou a competir no QS10000 de Ballito, os restantes ainda se mantêm em dúvida. Por enquanto, os seus nomes surgem na lista de baterias, mas veremos o que acontece até dia 8, início do período de espera do J-Bay Open.

Entretanto, começa a ser preocupante o número de vezes que a WSL refere nas suas notícias a complexidade e o perigo do free surf, frisando as inúmeras lesões que daí resultam. Uma questão que já foi mesmo debatida no webcast. Situações que sempre aconteceram e irão continuar a acontecer. Depois de terem impedido a participação dos surfistas do Tour em eventos fora da WSL, estarão estes tipos a sequer pensar em limitar as sessões de free surf das suas estrelas?

Fonte: surfportugal.pt.

Foto de capa: WSL / Kirstin.

 

Por onde anda Gabriel Medina?

Vamos ser realistas, o atual campeão mundial não chegou lá por sorte ou pelo simples agir do acaso, ou até mesmo por aqueles que acreditam nas previsões místicas de sei lá o que. Gabriel Medina se tornou campeão por regularidade, muito treino, muita raça e uma força de vontade que o levou a encarar os mais temidos surfistas do mundo de igual pra igual. O título é indiscutível, o menino se tornou homem, ganhou etapas, brigou – quase até saiu na porrada – e fez história.

O surfista de Maresias atraiu a grande mídia nacional e conquistou seguidores reais e virtuais em todo o mundo. Suas redes sociais ultrapassaram com facilidade todos os surfistas da WSL. Surfistas, que até pouco tempo no Brasil eram sinônimo de pessoas sem aptidão para trabalhar, usuário de drogas e outras coisas ruins, passaram a aparecer nos mais diversos canais da grande mídia, festando com atores famosos, apresentadores, gatas de revistas masculinas entre outras coisas ainda inexploradas por um surfista. Afinal de contas, alguém imaginaria a 10 anos atrás um sufista sendo entrevistado pelo Louro José?

Bode expiatório

Dito tudo isso, fica o mistério no ar. Por onde anda Gabriel Medina esse ano? Está todo mundo procurando o bode expiatório do Medina em 2015, uns falam que a superexposição tem atrapalhado os treinos do menino, outros criticam seu staff, outros ainda dizem que existe uma ressaca após o título. Fato é que ele está sem vencer este ano e ocupa a singela 20° posição no ranking, última que classifica para a 1° divisão do ano que vem, senhores, nosso campeão corre o risco de não se classificar.

Temos que considerar que Gabriel Medina foi o cara que pela primeira vez colocou a bandeira do Brasil para sempre na história do surf mundial. Ele já se sagrou campeão e isso basta. As vezes a cobrança demasiada por resultados e a pressão por ser o defensor do título tragam a ele certa pressão que certamente não está acostumado. Vamos ser justos, Gabriel já fez muito pelo surf e está de parabéns pela enorme conquista, esperamos que vença algumas etapas até o fim do ano para permanecer na elite e brigar pelo título em 2016.

Foto capa: Reprodução Facebook.

Mateus Herdy vence e Yago Dora é vice em Trestles

Com um futuro promissor no mundo do surf pela frente, Mateus Herdy e Yago Dora foram os brasileiros que conseguiram chegar as finais do Volcom TCT Champs, realizado na Califórnia, EUA.

Yago passou as quartas e as semi-finais em primeiro lugar e na final teve um somatório bem alto, porém, o peruano Miguel Tudela, venceu por uma diferença de apenas 11 décimos na final. Mateus, que também fez um dos maiores somatórios na semi, veio embalado e venceu a final. Assista aos melhores momentos do evento e confira os resultados completos abaixo:

Pro/Am

1 Miguel Tudela (Per)
2 Yago Dora (Bra)
3 Noah Schweizer (EUA)
4 Griffin Colapinto (EUA)

Junior
1 Nolan Rapoza (EUA)
2 Harley-Ross Webster (Aus)
3 Jake Marshall (EUA)
4 Wil Reid (EUA)

Grom
1 Mateus Herdy (Bra)
2 Nick Marshall (EUA)
3 Robert Grillho (Haw)
4 Kade Matson (EUA)

Girl
1 Caroline Marks (EUA)
2 Kahanu Delovio (Haw)
3 Alyssa Spencer (EUA)
4 Camilla Kemp (PRI)

Squid
1 Jackson Bunch
2 Brayden Burch
3 Dane Matson
4 Afonso Antunes

Foto de Capa: Douglas Cominski/Volcom

Super Surf está de volta com 4 etapas em 2015

A ABRASP confirmou as novas e definitivas datas do Circuito SUPER SURF deste ano além das demais datas dos eventos regionais da temporada 2015, vejam como ficou a programação do Circuito Brasileiro Profissional de 2015.

SUPER SURF: serão quatro eventos abertos a 144 atletas e este ano será um circuito aberto, lembrando que para o ano de 2016 nos eventos acima de R$60 mil somente os Top 44 poderão competir, por isso a importância de se terminar este ano entre os 44 melhores do ranking brasileiro.

A prioridade de inscrição dos eventos Super Surf deste ano será para os surfistas ranqueados em 2014 (ano em que Ítalo Ferreira se sagrou campeão brasileiro), na sequência a prioridade será para os integrantes do ranking deste ano (2015) e depois passarão a valer os rankings de 2013, 2012, 2011, etc. As inscrições estarão abertas a partir do final de maio e em breve estaremos informando os procedimentos de inscrição, lembrando que SOMENTE SURFISTAS FILIADOS poderão competir no Super Surf. As datas serão:

1.a etapa – 15 a 19 de julho em Maresias, São Sebastião/SP
2.a etapa – 12 a 16 de agosto no estado de São Paulo
3.a etapa – 09 a 13 de setembro no estado de Santa Catarina
4.a etapa – 14 a 18 de outubro no estado do Rio de Janeiro

Também tivemos alterações nas datas dos eventos regionais e pedimos que confiram o calendário em anexo para realizarem sua programação anual.

Uma lista parcial com os inscritos foi divulgada no Facebook:

1 Alan Marcos
2 Alandreson Martins
3 Alessandro Puga Gaspar
4 Alex Lima
5 Alex Ribeiro Alex Ribeiro
6 Alon Campestrini
7 Andre Gonçalves
8 Andre Luis Linhares Moi
9 Anselmo Correia
10 Arno Anheli
11 Arthur Souza
12 Artur Aguiar
13 Bino Bernardo Lopes
14 Bruno Galini
15 Bruno Moraes
16 Bruno Rodrigues
17 Caetano Vargas
18 Caina Barletta
19 Cauê Wood
20 Cezar Aguiar Molusco
21 Danilo Costa
22 David Do Carmo
23 David Silva Filhão
24 Deivid Silva
25 Diego Rosa
26 Dodô Dodoveiga Veiga
27 Douglas Noronha Douglas
28 Dunga Estevão Neto
29 Edher Reis
30 Eduardo Barrionuevo
31 Felipe Lipe Alves
32 Felipe Oliveira
33 Flavio Nakagima Flavio Nakagima
34 Frank Cordeiro
35 Gabriel Adisaka
36 Gabriel Ferreira
37 Geovane Ferreira
38 Gilmar Silva
39 Gustavo Bertotto
40 Gustavo Fernandes
41 Hugo Bittencourt
42 Ian Roichman Gouveia
43 Ícaro Miguel Rodrigues
44 Itim Silva
45 Jean da Silva
46 Jihad Khodr
47 Johnny Lacerda
48 Jonatan Busetti
49 José Eduardo Fernandes
50 Juliano Uzuelli
51 Julio Terres
52 Kadu Medeiros
53 Leandro Cruz
54 Léo Andrade
55 Leonardo Leo Neves
56 Luan Carvalho
57 Lucas Santos
58 Lucas Silveira
59 Luciano Brulher
60 Magno Pacheco Magno Tim Pacheco
61 Marcelo Trekinho
62 Marcio Freitas
63 Marco Aurelio Santos
64 Marco Fernandez
65 Matheus Navarro
66 Maxsswell Ribeiro
67 Messias Felixx Messias Felix
68 Michel Roque
69 Nathan R Brandi Nathan Brandi
70 Odarci Teco Nonato
71 Odirlei Coutinho
72 Paulo moura
73 Pedro Neves
74 Pedro Norberto Ludwig
75 Rafael Teixeira
76 Raoni Monteiro
77 Renato Galvao Pincerni
78 Ricardo Ferreira
79 Robson Santos Coleta
80 Rodrigo Wazlawick
81 Samuel Igo
82 Sidney Guimarães Sidinho
83 Tamae Bettero
84 Tanio Mello Barreto Tanio Barreto
85 Thiago Camarao
86 Thiago Thiago Guimaraes
87 Willian Cardoso
88 Yage Araujo
89 Yan Daberkow
90 Ygor Arakaki

 

Reprodução Facebook: Klaus Kaiser
Tour Manager
ABRASP

Baterias definidas para J-Bay

Depois dos tops da WSL surfarem uma da melhores esquerdas do mundo, em Fiji, chegou a hora de os atletas desembarcarem na lendária onda de J-Bay, na Africa do Sul. O evento que inicia no dia 08 de Julho e começa com o brasileiro Adriano de Souza utilizando a camisa amarela (do líder do rankinh),  já divulgou as baterias iniciais. Confira como ficou o primeiro round:

H1: Taj Burrow (AUS), Matt Wilkinson (AUS), Glenn Hall (IRL);
H2: Julian Wilson (AUS), Sebastian Zietz (HAW), Dusty Payne (HAW);
H3: Owen Wright (AUS), Michel Bourez (PYF), Brett Simpson (USA);
H4: Filipe Toledo (BRA), Miguel Pupo (BRA), CJ Hobgood (USA);
H5: Mick Fanning (AUS), Kai Otton (AUS), Wildcard;
H6: Adriano de Souza (BRA), Adam Melling (AUS), Wildcard;
H7: Josh Kerr (AUS), Wiggolly Dantas (BRA), Adrian Buchan (AUS);
H8: Kelly Slater (USA), Jadson Andre (BRA), Fred Patacchia (HAW);
H9: John John Florence (HAW), Jordy Smith (ZAF), Ricardo Christie (NZL);
H10: Nat Young (USA), Jeremy Flores (FRA), Keanu Asing (HAW);
H11: Italo Ferreira (BRA), Joel Parkinson (AUS), Kolohe Andino (USA);
H12: Bede Durbidge (AUS), Gabriel Medina (BRA), Matt Banting (AUS).

 

Jeremy Flores bate forte nos corais na Indonésia

Foram as piores 24 horas da sua vida. É Jeremy Flores quem o afirma, depois de um grave acidente “algures” na Indonésia. Tudo aconteceu depois de uma sessão onde acabou quando ele foi ao fundo e bateu a cabeça no reef, ficando com lesões graves no rosto.Segundo a descrição do surfista francês, o acidente aconteceu enquanto surfava “no meio do nada”, tendo ficado inconsciente durante cerca de 1 hora. Depois seguiu-se uma verdadeira aventura até conseguir ser transportado para um hospital.

O helicóptero que levou Flores para o Hospital Internacional demorou 24 horas até chegar ao local. Chegando ao hospital seguiu para uma operação de 2 horas aos profundos golpes que sofreu na cabeça e na face. Apesar do susto, não houveram fraturas.

Ainda assim, no meio da gravidade que o acidente parece ter tido, Jeremy Flores conseguiu manter o sangue frio e a boa disposição, terminando a mensagem que deixou nas redes sociais da seguinte forma: “Se postasse uma foto do estado da minha cara iria chocar muita gente, por isso não o vou fazer lol”.

Pelo jeito da mensagem descontraída, este foi só um contratempo para Jeremy, ele que se encontra em grande forma. Após o 3.º posto alcançado na última semana nas Fiji subiu ao top 10 da WSL. Contudo, agora estará certamente em dúvida a sua participação em J-Bay. Ótima recuperação Jeremy, que possamos ve-lo surfar em J-Bay dentro de alguns dias.

By: SurfPortugal.

Foto: Reprodução/Facebook.