Arquivos da categoria: Free Surf

Vídeos e matérias sobre o surf fora das competições.

Surf como terapia

O surf não é só um esporte de diversão, mas sim um esporte de integração. De contato com a natureza, com os colegas, com o mar e etc.

Na Grã-Bretanha existe um projeto de escolas especializadas para alunos especiais. Alunos com autismo usam o surf como uma terapia. Para quem não sabe o autismo “retira” a pessoa do convívio social, fazendo que ela crie um mundo só para ela.

Com este método de surf terapêutico já ocorreram vários relatos de muita melhora nos sintomas do autismo. Possibilitando a pessoa a ter contato com os outros, curtir aquele momento.

Discovery Surf School

Discovery Surf School

Não só no autismo que o surf foi usado como remédio na Grã-Bretanha, muitos soldados, membros das Forças Armadas ficaram traumatizados, passavam por sintomas de transtorno e nervosismo. E o surf mais uma vez fez seu papel de ajudante, amenizando os sintomas da doença.

Já ocorreram até competições para pessoas com necessidades especiais e dificuldades de aprendizado. As competições são um sucesso para as pessoas, para os visitantes e até para os investidores do projeto. Ou seja, o surf é um esporte de união. Onde você pode estar em cima da prancha, mas pensar em como outras pessoas também gostariam de estar surfando.

 

Raoni suspenso pela WSL

Raoni Monteiro é suspenso por 20 meses pela WSL por uso de doping
622x415

Raoni Monteiro é suspenso pela WSL por uso de doping. Foto: Keale Lemos / Lemosimages.com

A World Surf League anunciou a suspensão do atleta Raoni Monteiro por uso de substâncias proibidas.

Raoni não poderá participar de nenhuma competição promovida pela entidade até agosto de 2016.

O exame antidoping foi feito durante o Pipe Masters, em 2014. Raoni já estava suspenso desde o início do ano e não pôde disputar dois eventos QS10000 – um deles em Saquarema (RJ). Porém, o comunicado foi publicado pela WSL apenas no dia 8 deste mês. O primeiro veículo a ter acesso foi a revista Surfer.

Segundo a WSL, Raoni acusou positivo o consumo de drogas performativas, sendo que depois cooperou totalmente na investigação do diretor de disciplina da WSL. O surfista brasileiro teria admitido que a utilização das substâncias em questão não foi “intencional” e que estavam prescritas por um fisiologista. Raoni estava no Hawaii já sem qualquer chance de se requalificar para o Tour deste ano.

Ainda assim, a WSL determinou que o código da política antidoping foi violado, sendo que Raoni aceitou a suspensão sem levantar problemas. “Cometi um erro sem querer, mas há regras a seguir e eu não as respeitei”, começou por dizer o ex-atleta da elite mundial. “Vou trabalhar duro durante o tempo em que estiver fora da competição para tentar regressar à minha melhor forma e voltar à competição no próximo ano”, frisou.

A WSL, por intermédio do diretor de comunicação Dave Prodan, evitou revelar à Surfer qual a substância em questão. Já sobre os 5 meses de demora no anúncio da pena do brasileiro, Prodan referiu tratar-se de uma “situação séria” que exigia uma pesquisa profunda.

A suspensão de Raoni teve início a 12 de dezembro do último ano e prolonga-se até 20 de agosto de 2016. Este é o segundo atleta a ser suspenso por questões de doping. Em 2005, o também brasileiro Neco Padaratz acusou positivo por uso de anabolizantes. Na ocasião, Neco argumentou que fazia parte do tratamento a uma lesão nas costas.

Animais também surfam

Todos já viram aqueles vídeos que cães adoram um skate ou uma bola. Pois é, e também existem vários animais que adoram um surf. Obvio que seus donos incentivaram. Porém, a vontade de subir em cima da prancha parte dos próprios bichinhos.

Imagina estar na praia e passar um cão surfando do seu lado? Na verdade não seria muito correto. Afinal, cães não devem frequentar praias. Porém, com seus donos do lado para poder cuidar deles, até que pode ser bem divertido.

Em San Diego na Califórnia ás vezes até acontecem campeonatos caninos de surf, e muitas pessoas vão prestigiar o evento. Atrai muitos visitantes que vão só para levarem seus cachorros ou apenas observarem e se divertirem.

Cabe a cada saber se acha legal ou não os cães participarem de campeonatos. Desde que o animal se sinta feliz em cima prancha, isso é o que mais importa.

Bethany Hamilton surfa com um só braço

A surfista que tem uma história linda de superação. Bethany aos oito anos já sabia o que queria. Ser surfista era sonho, participava de vários campeonatos infantis e era realmente muito boa.

Infelizmente aos 13 anos sofreu um marco em sua vida. Um tubarão arrancou o braço de Bethany, mas felizmente ela conseguiu sobreviver ao ataque. Não conformada ela continuou indo na praia ver os amigos surfistas e tentando surfar do mesmo jeito.

bethany-hamilton-acm-300x300

Bethany Hamilton

Ela não conseguiu subir na prancha de primeira, mas a vontade foi maior que qualquer limitação. Bethany depois de algumas tentativas conseguiu surfar novamente, recuperou o equilíbrio e hoje em dia é um grande exemplo para todos os surfistas.

Hoje em dia Bethany participa de vários campeonatos de surfe pelo mundo, é palestrante e tem uma ONG que oferece suporte a pessoas que foram atacas por tubarão e amputados. O que era para ser um motivo de tristeza acabou se tornando um impulso para o bem. Hoje toda essa historia faz com que Bethany saiba o quanto é uma mulher forte, capaz de ser bem sucedida profissionalmente e nos seus sonhos.

Conheça o SUP

SUP é o nosso stand-up paddle, que agora está sendo muito divulgado no Brasil. Não é um esporte novo, nasceu no Havaí da metade do século XX, esse surf tem conquistado o mundo inteiro.

O sup consiste em ficar em pé ou sentado na prancha e sempre remando para se movimentar. E necessário um bom preparo físico para quem prática o esporte. Os braços vão ficando fortes e definidos com o passar do tempo.

Quem não tem a prancha de sup não precisa se preocupar. É uma prancha muito grande, mas facilmente encontrada para aluguel, se aluga na praia mesmo. Geralmente alugam para trinta minutos, uma hora ou duas horas. E o preço varia por local.

from the JP team on the  board in Maui, Hawaii (USA). Photo: thorstenindra.com

Maui, Hawaii (USA). Foto: thorstenindra.com

É recomendado começar alugando a prancha de sup ou usar emprestada de um amigo, se você gostar do esporte então já pode adquirir a sua. Lembre-se que nas primeiras tentativas nunca se deve ir sozinho. É sempre recomendado que alguém vá com você para te auxiliar em qualquer tipo de ajuda caso seja necessário.

Manter o equilíbrio em cima da prancha de sup requer tempo e técnica, tudo no começo parece mais difícil. Porém, a habilidade vai surgindo com o passar dos dias. Quanto mais trabalho, mais rápido se chega a quase perfeição. Quanto mais surf, melhor diversão.

Quer surfar sem estar na água? Conheça o Gear VR

Já imaginou usar um óculos que te permite uma sensação real de surfar? Pois é, agora existe. E nosso atleta de ouro Gabriel Medina conferiu de perto essa nova sensação.

Óculos que foi inventado pela Samsung tem o auxílio de uma plataforma adaptada, que é uma prancha de surf com os devidos movimentos realizados pela onda. Tudo para parecer o mais próximo possível da realidade. É possível sentir as ondulações e o fluxo da onda, como se fossem reais todas aquelas manobras.

Gear VR- Samsung

Gear VR- Samsung

Não só o Gabriel Medina e os outros surfistas podem testar os óculos. A pessoa que for até dia 22 de Maio na Praia do Pepê, no lounge Samsung Galaxy Studio, também pode experimentar essa nova onda. Aliais esse novo experimento que é como uma onda.

O surfista cadeirante

Andrézinho Carioca superou todos seus limites e barreiras. Ele mostrou que quem tem vontade e persistência possui tudo. Um real incentivo a todos que lutam para conseguir seus sonhos.

Aos 21 anos Andrezinho sofreu um acidente e teve a má noticia de que iria ficar paraplégico. Não pense que ele deixou se abater. Ele ergueu a cabeça e foi procurar algumas atividades físicas, vários esportes. Porém, nenhum tinha sucesso. Até encontrar o projeto AdaptSurf, que já ate foi citado em outro texto do nosso site, um texto sobre inclusão.

Andrezinho Carioca surfando

Andrezinho Carioca surfando

 

Com o projeto,Andrezinho não se sentia mais sozinho, se sentia capaz de tudo e realmente era capaz de tudo. Tornou-se um grande surfista. Que ousou até mesmo surfar a Pororoca. Aquela grande e temida onda que percorre vários quilômetros. Pois é, nosso atleta ousado mostrou que nenhuma limitação é capaz de cortar um sonho.

Com alguns ajustes a prancha ficou ideal para Andrezinho carioca. Quilha de borracha para evitar ferimentos, roupas ideais, apoio para as mãos, agora está tudo certo para o nosso surfista.

Quem se acha incapaz de surfar, lembre-se que existem vários exemplos assim. Lembre-se de ter vontade e ousadia. Que nenhuma limitação é capaz de impedir algo. Andrezinho orgulha os amigos, a família, os surfistas e o Brasil inteiro. É fantástico poder saber de um exemplo tão belo como o do Andrezinho Carioca.

 

O que comer antes de surfar?

Acho que todos já tiveram aquela famosa dor depois de almoçar e praticar algum esporte. Essa má digestão se deve ao fato de não poder comer muito e rapidamente fazer algum esforço. É necessário em torno de 2 horas para o organismo processar o alimento.

Se você surfa de barriga vazia ou muito cheia, você pode ter graves problemas meu amigo. No surf ou em qualquer esporte é recomendado comer alimentos leves antes de praticá-lo. Um dos segredos do grande surfista Kelly Slater é ter um dieta rica em nutrientes, isso facilita o preparo físico do corpo e ajuda na saúde. Frutas são uma ótima opção. Não precisa ser uma das melhores e nem super caras, uma banana, um pouco de mamão e maça, já ajuda na dieta com nutrientes.

Fonte: gnt.globo

Fonte: gnt.globo

 

Beber muita água é essencial. Água ajuda no funcionamento do nosso metabolismo, na hidratação da pele e no bom desempenho de nosso organismo. Se preferir tomar água de coco melhor ainda, possui muitos nutrientes e é vendido na praia mesmo.

Falando em praia, esqueça aqueles camarões com limão, batata fritas e quase tudo que é vendido na praia, podem causa uma indigestão terrível para quem logo irá surfar. Porém se acalme, pode tomar um picolé ou sorvete que é para refrescar. Se quiser comer algo que seja mais calórico, faça uma pausa antes de voltar a treinar.

Água, alimentos certos, descanso e muito treino. Desse jeito, tudo contribui para ser um bom dia de treinamento pesado e divertido. E ainda evita os quilos extras.

Levou uma vaca? Dicas para não se afogar

Todos nós quando levamos uma vaca, parece que a superfície não chega nunca. E logo bate aquele medo de se afogar. E sim, é muito perigoso se tomar uma vaca e não saber os métodos certos para voltar rápido para superfície sem colocar a sua vida em risco.

you tube-canal surf lessons

you tube-canal surf lessons

 

Primeiramente, se deve sempre manter a calma. Quanto mais adrenalina mais ar você gasta. Treine sempre prender a respiração de baixo d’água. Assim, seus pulmões vão ficar mais acostumados na hora de ter prender a respiração por mais tempo.

O recorde de ficar sem respirar de baixo d’água foi do francês Stéphane Mifsud, ele conseguiu permanecer 11 minutos e meio dentro d’água sem respirar. Ele estava praticando um esporte chamado Apneia, que é justamente feito para prender a respiração quando se está dentro d’água.

Para surfistas é imprescindível controlar seu emocional, sempre que estamos muito agitados tomamos logo uma vaca, bebemos água e quanto mais agitação, pior o desempenho do atleta.

Sempre que ocorrer quedas e for parar muito longe da superfície. Controle sua respiração, mantenha a calma e volte nadando até voltar a ver a luz do sol. Não se deve brincar com perigo, para iniciantes as vacas são ainda piores, portanto muito cuidado. Vacas, caixotes, quedas, tombos… Tudo isso faz parte da vida do atleta. Quem caiu basta apenas levantar.

 

Surf não é só na praia

Já pensou surfar em rios também? Com ondas super rápidas, esses rios existem.  Existem diversos rios no mundo que criam ondas muito boas. São chamadas de macaréus, no Brasil existe a tão famosa Pororoca. Essa ondas são bem raras, acontecem poucas vezes ao mês, e as vezes apenas uma vez ao ano.

Assista aqui ao vídeo da nossa Pororoca no Rio Amapá:

Essas ondas dos rios percorrem muitas vezes até 456 km. Chegam a ter 10 metros de altura com uma velocidade de 40 km/h. É uma onda que é para ser muito aproveitada para quem ama o esporte.

Surfar na Pororoca ou em qualquer outra onda de rios é um privilegio para poucos.

Veja aqui a lista de várias ondas macaréus:

– Rio Campar – Sumatra, Indonésia

– Rio Qitang– Hangzhou, China

– Rio Eisbach – Munique, Alemanha

– Rio Waimea  – Waimea, Hawaii

– Rio Araguari – Amapá, Brasil

Quem já teve a oportunidade de surfar em algumas dessas ondas não se esqueça de compartilhar a experiência conosco. Pode ter certeza que é diversão e adrenalina garantida para quem pega uma dessas gigantes da natureza.