História do Surf feminino.

 Mulheres também surfam!

Hoje em dia é cada vez mais comum ver mulheres em cima de pranchas, em campeonatos e até mesmo em treinamentos voltados para aprender surf(as famosas escolinhas de surf).Em vários esportes a mulher está ganhando seu espaço.E o surf é mais um dos esportes de inclusão do gênero feminino.

Em média faz 100 anos que as mulheres marcam presença nesse cenário surfista. Não só nacionalmente como internacionalmente. A primeira aparição de mulheres nas ondas foi em 1914,a destemida Isabel Letham.Naquela época as pessoas eram muito conservadoras,porém ela desafiou seu pai e foi para as ondas.  Ela foi a Australiana pioneira que surfou com uma prancha,já que na Austrália era mais conhecido o bodyboarding .As pessoas não ficavam de pé em suas pranchas.

Agora devem estar se perguntando. E no Brasil?Quando a mulher teve seu lugar no surf?

Surf feminino e sua história no Brasil.

No Brasil, foi com a Margot Rittscher da década de 60.Uma santista com muita coragem e audácia .Ela surfava com a “tábua havaiana” que na época era uma prancha muito utilizada.Todos devem lembrar  de alguns filmes com aquelas grandes tábuas de madeira.As famosas tábuas havaianas.

Porém, como surgiu o desejo do surf na vida dessa mulher?

Como grande parte dos surfistas o desejo inicial é devido ao amor pela natureza, a água e principalmente o mar. Do mesmo modo foi com Margot,uma mulher que amava o amar e amava estar próxima a ele.

Essas grandes mulheres deram o primeiro passo para a entrada da mulher no surf. Devido ao imenso preconceito na época tudo se tornava muito difícil para fazer o que se amava.Hoje em dia é comum ver uma menina surfando, comprando equipamentos de surf e até mesmo usando gírias tão famosas entre os surfistas.

Na vida a persistência é essencial, e foi assim que elas ganharam espaço na sociedade. Persistindo e lutando para realizar seus sonhos e planos. E graças a essas mulheres uma grande parte da geração foi influenciada, facilitando a continuidade do esporte para as gerações futuras.

Surf não é coisa de homem como muitos dizem. Mulher também surfa. Portanto,não desista no primeiro caixote que a vida te der. Tente alcançar os picos mais altos, as ondas que mais te fascinam. Essa é a essência do esporte e a essência da vida.

 

Deixe uma resposta