A Surf Telecom, dirigida por Yon Moreira, ingressou no mercado brasileiro de
telecom com a marca da audácia. Em 2015, surpreende os competidores ao
arrematar a frequência de 2,5 GHz de São Paulo com um ágio 30 vezes maior
do que o preço mínimo definido no leilão de sobras da Anatel daquele ano.
Depois, em disputa com a Claro, vence a licitação dos Correios para oferecer o
celular em todo o país, consolidando-se como a empresa habilitadora de
novas marcas (MVNE), com a rede da TIM.

Dobrando de tamanho todos os anos, a operadora contratou mais diretores
no início de 2021 e redefiniu as funções de seus pioneiros. Davi Fraga, um dos
sócios, passa a responder pelos sistemas e estrutura de rede, como CTIO, e
Alexandre Pieroni passa a acumular o operacional, comercial e RH, como COO.
Em entrevista ao Tele.Síntese, os dois diretores falam dos planos para este ano:
a consolidação e ampliação do número dos clientes de seus clientes; o
lançamento de IPO; e a manutenção da estratégia, também no segmento
financeiro, de levar serviço, e agora, microcrédito, para a população de baixa
renda.

 

Leia matéria em Telesíntese

11 92000-1111